Início » Carreira em dados: guia definitivo para você saber tudo sobre essa profissão em expansão

Carreira em dados: guia definitivo para você saber tudo sobre essa profissão em expansão

Carreira em dados

Descubra tudo sobre a carreira em dados, as possibilidades de expansão e as áreas de atuação do profissional na empresa.

Com demandas cada vez mais crescentes no mercado, a área de TI está sempre em expansão e também em constante busca por mão de obra. Das 15 Profissões Emergentes em 2020 mapeadas pelo LinkedIn no Brasil, nove estão diretamente relacionadas à tecnologia da informação. Entre as áreas de maior destaque está a carreira em dados.

O crescimento da procura por profissionais dessa área se deve ao cenário atual: nunca coletamos tantos dados na história da humanidade, e mais que isso, com o avanço tecnológico nós aprendemos a processar esses dados e transformá-los em informações importantes, que trazem grande diferencial competitivo para as empresas.

Podemos afirmar que atualmente os dados podem ser considerados como ativos de uma empresa, e saber tratá-los corretamente possibilita a resolução de problemas da companhia, gerando demandas mais acuradas que permitem o seu crescimento.

Por isso a carreira em dados estará cada vez mais em evidência. Para quem quer avançar nessa área, saiba que esse é um setor bem capilarizado e cheio de possibilidades para diferentes perfis.

Vem com a gente que vamos te contar tudo sobre a carreira em dados e suas variáveis. Boa leitura!


Por que começar uma carreira em dados?

Em um passado não muito distante, a área de dados era chamada de emprego do futuro, e é certo dizer que esse futuro chegou! Hoje os profissionais desse setor já estão entre os mais procurados em tecnologia da informação.

A boa notícia é que quem tem interesse em ingressar nessa área encontra duas grandes vantagens: há pouca mão de obra qualificada e as ofertas de salários são bem atrativas. Índices que vão totalmente na contramão do atual cenário econômico, de desemprego e baixos salários ofertados. Portanto, o investimento em uma carreira de dados pode ser uma escolha muito correta.

Formação acadêmica na carreira de dados

Para falar a verdade, não há uma formação específica exigida, o que podemos adiantar é que ter facilidade com números e pensamento lógico é essencial para trabalhar com dados.

Assim como algum conhecimento em estatística te ajudará na interpretação dos dados, e conhecer álgebra pode te ajudar na tradução do volume de dados em gráficos e representações tangíveis. Por isso, na maioria das vezes, os profissionais de dados são da área de exatas, mas não é uma regra.

As várias possibilidades da profissão

Para profissionais que estão interessados na área de dados, o essencial é compreender as diversas possibilidades de atuação e observar as necessidades do mercado atual, e como cada empresa está lidando com os cargos de forma interna.

O fato é que muita coisa mudou, principalmente por conta da pandemia do novo coronavírus, que impulsionou ainda mais a expansão de carreiras relacionadas a dados e inteligência artificial, já que muitas empresas foram forçadas a adotar o modelo de trabalho digital.

A partir dessa mudança, muitas soluções e ferramentas – que antes eram exclusivamente utilizadas por grandes empresas – também passaram a ser importantes para pequenas e médias empresas. Nesse contexto surgiram muitas empresas e profissionais que sabem lidar com essas ferramentas, fazendo aumentar também a procura por carreiras relacionadas.

Devido a todo esse quadro, entre as funções em expansão no momento está a carreira de cientista de dados. Vem com a gente que vamos te explicar tudo!

Carreira de cientista de dados

A Ciência de Dados é uma das áreas mais amplas do segmento. Os cientistas de dados procuram padrões e informações que permitam ter insights, prever tendências e resolver problemas, ou ainda se antecipar aos problemas, antes mesmo que ocorram.

Sendo assim, o cientista de dados é responsável por coletar, gerenciar e transformar em modelos utilizáveis uma grande quantidade de dados não-estruturados, para que seja possível extrair desse conjunto todo informações relevantes, que sejam importantes para os resultados da empresa.

Esses dados poderão ser utilizados para análises quantitativas e qualitativas, seja análise de um grupo de consumidor, de um nicho específico de mercado, de uma empresa ou até de seus colaboradores. Em resumo: o cientista de dados transforma um emaranhado de registros em produtos valiosos para a empresa.

É válido dizer que essa profissão deve ganhar cada vez mais destaque, pois hoje tudo pode ser quantificado, e as empresas estão cada vez mais ligadas nessa estratégia para a expansão do negócio.

Como exemplo prático aqui, podemos citar a continuidade de digitação em determinados sites de busca, que se autocompletam a cada busca repetida que você faz, já sugerindo que conhece o seu perfil, e que o buscador sabe o que você procura. Um contexto bem corriqueiro, para entender que qualquer coisa mesmo pode ser captada e transformada em dados.

Apontada pelo relatório Future of Jobs do World Economic Forum de 2020 como a profissão mais promissora para os próximos anos, o trabalho do cientista de dados une estatística, programação e visão estratégica de negócios.

Conhecimento e habilidades necessárias

Agora, vamos falar um pouco do conhecimento necessário para esse profissional. Vem com a gente!

Hard Skills do cientista de dados:

● Linguagens de Programação (Python, R, Java);
● Manipulação de banco de dados (SQL);
● Estatística;
● Modelos Preditivos;
● Machine Learning;
● Visualização de Dados;
● Desenvolvimento de Software;
● Data Visualization (Power BI, Tableau, Google Data Studio, Metabase etc).

Soft Skills do cientista de dados:

● Pensamento crítico;
● Comunicação Efetiva;
● Business Sense;
● Negociação;
● Curiosidade;

Formação acadêmica

Quanto à formação acadêmica, conforme já adiantamos alguns parágrafos acima, há profissionais de todas as áreas, isso porque a carreira de cientista de dados é relativamente nova. Atualmente é formada em grande parte por profissionais de Engenharia, Computação, Administração, Estatística e até Economia.

Como a profissão lida também com big data, uma grande massa de dados, para tirar boas conclusões é necessário conhecer as técnicas de inteligência artificial e inteligência de negócios.

Agora que você já sabe sobre a carreira de Cientista de Dados, o perfil e área de atuação, que tal saber um pouco sobre uma outra possibilidade (entre tantas) que a carreira em dados possibilita seguir? Vamos falar um pouco sobre a carreira de Analista de Dados. Uma área igualmente atual e em considerável crescimento.

Carreira de Analista de Dados

“Dados são o novo petróleo”, a frase dita por Clive Humby, matemático londrino, faz total sentido para nós agora, certo?

Antes de tudo é preciso dizer que somente obter os dados não traz resultados para as empresas. Os dados devem ser tratados e compilados por profissionais capacitados, aí sim tornam-se seguros para serem utilizados para decisões empresariais, independente do tamanho da empresa.

Esse é (também) o papel do Analista de Dados: é responsável por coletar, compilar, analisar e interpretar corretamente as informações obtidas. Essa análise tem como objetivo nortear a empresa nas mais diversas áreas, auxiliando na tomada de uma decisão estratégica ou contribuindo para a obtenção de resultados. Pode atuar, entre tantas áreas, em parceria com campanhas de marketing ou vendas, por exemplo.

Além do conhecimento na compilação de dados, o analista precisa ter capacidade de interpretação apurada, além de conhecer muito bem a área em que está inserido.

E aqui estamos falando especificamente que ele deve conhecer a fundo sobre a área de atuação da empresa no mercado, isso porque as análises feitas pelo profissional de dados serão utilizadas para auxiliar em tomadas de decisões importantes na empresa.

Quais as diferenças entre as duas áreas?

Conforme já falamos acima, a formação para os profissionais de ambas as áreas é muito parecida. A familiaridade com números também deve ser levada em consideração, bem como alguns aspectos mais técnicos como linguagens de programação e estatística. Dito isso, a diferença entre as duas profissões está no tratamento dos dados. Vem com a gente que vamos explicar!

Os Analistas de Dados examinam e exploram os dados e procuram identificar tendências, padrões e possíveis erros que são específicos para a empresa. A partir dessas informações, montam apresentações, gráficos e ajudam, com esses números, na tomada de decisão do negócio e respondem perguntas prontas, feitas pela empresa.

Os Cientistas de Dados podem fazer o trabalho de um Analista de Dados, mas além disso, dominam o aprendizado de máquina (Machine Learning) e podem criar novos processos para modelagem de dados. Eles podem trabalhar com algoritmos, modelos preditivos e muito mais, podendo formular perguntas para que esses dados “respondam” quais soluções provavelmente beneficiarão a empresa.

E aí, conseguiu entender a importância da carreira em dados para o mundo atual? Se você gostou do conteúdo, fique ligado nas próximas dicas. Até lá!